Vitória – Centro de Reabilitação e Terapia Neuromotora Intensiva

O Conceito Bobath aplicado às crianças com paralisia cerebral e a participação de sua família no tratamento.

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

CONHEÇA O MÉTODO BOBATH

O CONCEITO BOBATH NA FISIOTERAPIA


O que acontece com crianças com Paralisia Cerebral?

“Devido à lesão do cérebro no começo da infância, o desenvolvimento da criança com PC é retardado, ou parado, e torna-se desorganizado e anormal. Em muitas crianças com PC, assim vê-se uma insuficiência, ou total falta de controle da cabeça, e também um desenvolvimento incompleto da habilidade de usar as mãos e os braços para o apoio, para alcançar, para agarrar e para manipulação, faltando também à criança o equilíbrio e o controle de suas posturas, especialmente no sentar, ficar de pé, e andar”. (Bertha e K. Bobath, 1981)

O cuidado da criança com paralisia cerebral envolve o manuseio, o tratamento e jogos num conjunto que possa ser organizado através dos pais. Nenhuma criança deve ter estes tratamentos isolados.

Uma parte do tempo da terapia, deve ser usado e ensinando os pais como manusear a criança em casa, de modo que qualquer melhora obtida durante o tratamento pode ser continuada, usada e reforçada em casa.

Exatamente por serem importantes os conselhos e as instruções é que não se deve ensinar às mães apenas o que fazer e como fazer, mas ela dever compreender porque fará certas coisas, e porque não fará outras.

Em resumo, ela deve compreender seu filho, suas dificuldades e as coisas que ele possa ser capaz de fazer se for ajudado da maneira correta em qualquer fase do tratamento e do desenvolvimento. Ela também necessita saber alguma coisa do desenvolvimento da criança normal, sua importância no aprendizado de novas atividades e porque meios a lesão do cérebro retardou o desenvolvimento da criança ou causou a sua anormalidade.

Nenhuma criança com paralisia cerebral é igual a outra e um conselho geral que possa aplicar a todas as crianças não é de muita validade.

A importância do trabalho em equipe

Tratar e manusear uma criança que sofre de paralisia cerebral envolve a solução de uma larga série de problemas. Nesse trabalho a cooperação dos pais é vital, porque somente quando os pais e os terapeutas trabalham juntos como uma equipe, pode ser dada a uma criança as melhores oportunidades para o desenvolvimento de suas capacidades, quaisquer que sejam as suas limitações.

É um erro dos pais pensar que, tendo, entregue seu filho aos especialistas, sua responsabilidade concernente ao tratamento esteja terminado. O que está longe de ser verdade; isto, ao contrário, marca o início de uma sociedade entre pais e os terapeutas no cuidado e tratamento da criança.

Crianças com paralisia cerebral podem ser espásticas, atetósicas, atáxicas, flácidas, e sua inteligência pode ir do normal ao sub-normal. Pode também haver problemas associados afetando a visão, a audição e a fala, problemas específicos de aprendizagem e possivelmente alguns problemas físicos ou envolvimentos emocionais. Em muitos casos a idade cronológica da criança não corresponde à sua idade de desenvolvimento; algumas vezes ela pode estar em um nível geral mais baixo em todos os aspectos do desenvolvimento, em outras vezes não é assim na totalidade.

O grande elemento da equipe, a família, é muito importante no tratamento da criança com paralisia cerebral. Embora o bom manuseio em casa seja um importante e essencial complemento do tratamento, não pode tomar lugar do tratamento e não deve ser visto como substituto. O terapeuta explicará passo a passo o que está fazendo e porque, e o que ele espera alcançar, estágio por estágio do tratamento.

Como a finalidade em todo o tratamento é obter melhora nas atividades funcionais, o terapeuta explicará aos pais que o tratamento não deve ser considerado como uma sessão de meia hora diária, mas que deve estar relacionada às atividades do dia. Isto porque a cooperação dos pais é tão importante e tantas coisas podem ser feitas em casa e que não são possíveis numa sala de tratamento.” (Nancie A. Finnie, “O manuseio em casa da Criança com paralisia cerebral”)

Os terapeutas: Fisioterapeutas, Fonoaudiólogos e Terapeutas Ocupacionais, com formação no Conceito Bobath, estarão aptos para tratar, orientar e acompanhar o desenvolvimento de cada criança com os problemas decorrentes de uma lesão no SNC. Avaliando, analisando as necessidades de cada criança e orientando e explicando à família, para que possa desenvolver um controle motor para desempenho das atividades funcionais com objetivo de alcançar alguma independência motora, quando possível e, introduzindo e adequando ao seu meio familiar, social, escolar, etc. E, desta forma enquadrar a criança, no contexto dos conhecimentos e estudos científicos atuais, do padrão CIF (Classificação Internacional da Funcionalidade desenvolvida pela OMS, 2001/ 2002).

Referência:
Nancie A. Finnie:”O manuseio em casa da criança com paralisia cerebral. 2ª ed. Ed. Manole, 1980.

 

Inscreva-se em nossa newsletter